A bandeira tarifária, sobretaxa que é aplicada na conta de luz quando o custo da energia sobe por falta de chuvas, ficará até 50% mais cara a partir de junho.

Com isso, a conta de luz vai subir. Resolução da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) publicada nesta terça-feira determinou que o valor aplicado na bandeira amarela subirá de R$ 1,00 para R$ 1,50 a cada 100 Kwh consumidos – um avanço de 50%.

A bandeira vermelha no patamar 1 subiu de R$ 3,00 para R$ 4,00 – aumento de 33,3%. A banderia vermelha no patamar 2 teve alta de 20%: de R$ 5,00 para R$ 6,00. As mudanças começam a valer a partir do dia 1º de junho.

Neste mês de maio, as contas de luz já ficaram mais caras, já que a bandeira amarela entrou em vigor pela primeira vez no ano. Assim, sendo, este já será o segundo reajuste em menos de 60 dias.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015 pela Aneel como forma de recompor os gastos extras com a utilização da energia gerada por meio de usinas térmicas, que é mais cara do que a de hidrelétricas. Sendo a bandeira verde para quando tem o nível máximo nos reservatórios completo, e no período de estiagem quando os níveis de água diminuem e então a geração da energia fica mais cara, determinando assim o uso das bandeiras amarelas e vermelhas na conta de luz dos consumidores.

Com a alta nas tarifas, o consumidor já começa a se precaver com a redução da energia elétrica em sua casa, comércio e propriedade. Os clientes que utilizam o sistema de energia fotovoltaico confirmam os benefícios e a economia que é possível através da geração de energia solar.

A energia solar fotovoltaica cresce cada vez mais, e é gerada através da radiação solar emitida nos módulos fotovoltaicos instalados. Os benefícios da energia fotovoltaicas são muitos, fique longe dos aumentos abusivos das tarifas de energia elétrica, reduza em até 95% a sua fatura e ajude o meio ambiente gerando a sua própria energia limpa e renovável.