O setor de energia solar cresce, e muito, mesmo durante a crise. A produção de energia solar distribuída, aquela que é feita por pequenos produtores para o consumo próprio, mais do que dobrou nos dez primeiros meses deste ano, em relação a tudo que foi instalado nos últimos oito anos.

A produção fotovoltaica centralizada, que é feita por grandes empresas do setor, responde por mais de 3 gigawatts, e também cresce: a estatal Furnas fez um leilão de compra de 1 gigawatt, que será produzido em parques solares de outras empresas a partir de 2024, por um período de 15 anos.